Vista Aérea de Auckland

Rangitoto Island: Melhor vista de Auckland do alto do maior vulcão da cidade

Rangitoto Island

Talvez você nem imagine, mas em Auckland existem pelo menos 50 vulcões espalhados pela cidade. Embora considerados “dormentes ou extintos”, já que a última erupção vulcânica na principal cidade da Nova Zelândia aconteceu à cerca de 550-600 anos atrás criando, o que conhecemos hoje como Rangitoto Island. O risco de outra erupção vulcânica acontecer no futuro em Auckland, é uma realidade.

Embora a atividade vulcânica em Auckland tenha cessado quase que totalmente, desde a erupção do Rangitoto. A maior cidade neozelandesa vive literalmente sob uma panela de pressão, no que os vulcanologistas chamam de Auckland Volcanic Field. Não se sabe exatamente quando e onde uma nova erupção irá acontecer na cidade, mas que ela um dia irá acontecer, isso os cientistas não tem dúvidas de que ela irá.

Um estudo publicado recentemente pela Massey University zoneando as áreas de maior e menor risco de erupção em Auckland, coloca os subúrbios de Three Kings e Mangere (onde se encontra o Aeroporto de Auckland) como áreas de maior risco vulcânico.

Ao contrário dos vulcões encontrados do Central Plateau no Taupo Volcanic Field que ao longo do tempo entram em erupção em diversas oportunidades e sempre no mesmo lugar. Os vulcões do Auckland Volcanic Field são chamados de vulcões monogenéticos. Ou seja, são vulcões que geralmente entram em erupção uma única vez e se tornam extintos.

Imprevistos acontecem! Garanta seu seguro de viagem aqui!
Utilize o link promocional: CLIQUE AQUI para receber desconto em sua compra.

Ao longo dos últimos 250 mil anos, o Auckland Volcanic Field registrou pelo menos 50 grandes erupções. Fazendo rapidinho as contas, temos uma média de 1 erupção a cada 5.000 anos. Em outras palavras, matematicamente falando, estaríamos “livres” de uma erupção de grandes proporções pelos próximos 4.500 anos.

Porém a natureza não é assim tão previsível e “cronometrada”. E para dizer bem a verdade, muito pouco se sabe como, quando, quão intensa e por quanto tempo cada uma dessas erupções aconteceram no passado.

Apesar de o “risco” de uma erupção vulcânica acontecer em Auckland durante nossas vidas ser relativamente remoto, ele de fato existe. Tanto que a defesa civil de Auckland tem toda uma literatura e plano de ação para botar em prática caso seja necessário. Para se ter uma idéia as chances de um terremoto destruir Christchurch segundo os cientistas era algo na casa de 1 para 10.000. Já o risco de Auckland ver um vulcão surgir em algum lugar da cidade é algo entorno de 1 para 4.000. Com os terremotos de 2010 e 2012 em Canterbury, sabemos que quando menos esperarmos algo pode acontecer.

Embora a grande maioria das pessoas nem ligue para o risco de uma erupção vulcânica em Auckland, em 17 de Março de 2013 tivemos a prova que vivemos sob um campo vulcanicamente ativo, um pequeno terremoto (relativamente incomum em Auckland) de 3.9 graus na escala Richter causado muito provavelmente pela movimentação do magma do Auckland Volcanic Field. Embora ele não tenha representado diretamente o aumento da atividade vulcânica na região, nem o presságio de uma nova erupção, este terremoto é um lembrete de que a terra por aqui ainda esta “viva” e em processo de acomodação.

O fato é que os cerca de 50 vulcões de Auckland são hoje, uma das inúmeras atrações turísticas da cidade. Protegidos por lei da ocupação imobiliária, eles em sua maioria foram transformados em parques urbanos de onde, além de contemplarmos sua forma, geralmemte cônica, temos excelentes vistas da cidade. Os mais populares deles são o Mount Victoria, Mount Wellington, Mount  Eden, Mount Albert, One Tree Hill e por aí vai só para citar alguns.

Rangitoto Island: Uma ilha vulcão em Auckland

Porém, dentre todos os “remanescentes” de vulcões em Auckland o mais notável e impressionante deles é o Rangitoto, ou Rangitoto Island. Uma icônica ilha vulcânica de 5.5km de diâmetro no coração do Hauraki Gulf e amplamente visível de Auckland que se eleva em mais de 260 metros de altura em relação ao nível do mar.

Ocupando uma área de 2311 hectares, Rangitoto Island é o maior e mais recente dos cerca de 50 vulcões do campo vulcânico Auckland. Sua última erupção, aconteceu a cerca de 550 anos quando os maoris já habitavam a Nova Zelândia. Como estes não tinham linguagem escrita nem calendário não se pode determinar o ano com exatidão.

Acredita-se que o Rangitoto foi formado por uma série de sucessivas erupções entre 550 e 600 anos atrás. As principais erupções teriam ocorrido em dois diferentes episódios, num intervalo de 10-50 anos, em que teriam expelido lava e cinzas por anos seguidos como o Kilauea faz hoje no Hawaii.

Ao todo mais de 2,3 mil quilômetros cúbicos de material vulcânico foram expelidos pelo Rangitoto, o que é aproximadamente igual à massa total produzido por quase todas as outras erupções do campo vulcânico de Auckland ao longo dos mais de 250.000 anos.

Rangitoto Island e a Mitologia Maori

O nome Rangitoto tem origem na mitologia Māori e significa “um dia o sangue de Tama-te-Kapua foi derramado”. Segundo a mitologia Māori, o nome que vem da frase Nga Rangi-i-totongia-a Tama-te-Kapua e se refere a lenda de  Tama-te-Kapua. Tama-te-Kapua era o capitão da waka Arawa. A waka (canoa) Arawa foi uma das primeiras embarcações com os primeiros Maoris a chegar em Aotearoa (Nova Zelândia). E que foi gravemente ferido e morto na ilha durante uma batalha com os Tainui, um iwi (tribo) inimigo, pelo controle de Tamaki Makaurau (Auckland).

Visitando Rangitoto Island em Auckland

É possível se visitar Rangitoto Island com o Ferry que sai do Auckland Ferry Terminal e que passa em Davenport antes de chegar a ilha. Tive a oportunidade de visitar o Rangitoto e subir até o seu cume em pelo menos 2 oportunidades. Visitar o Rangitoto é um passeio bastante interessante para observar Auckland, a Waitemata Harbour e o belíssimo Hauraki Gulf e principalmente para quem nunca teve a oportunidade de visitar um vulcão antes na vida, como o meu irmão que estava me visitando quando estive lá pela primeira vez em 2013.

Hoje a ilha é uma unidade de conservação que juntamente com Motutapu Island e Tiritiri Matangi Island. Que há alguns vários anos se vem trabalhando na erradicação de espécies exóticas e na reintrodução de animais nativos no ecossistema local.

Por ser um vulcão geologicamente recém nascido, em algumas partes da ilha e ao longo de alguns trechos da trilha em direção ao cume, a vegetação ainda não conseguiu se estabelever sobre as pedras de basalto, no que no passado eram os rios de lava que escorriam da cratera do vulcão. Algo completamente diferente de um vulcão presentemente ativo como White Island na região de Bay of Plenty.

Cerca de 250 metros antes de chegar ao topo da montanha, não deixe de visitar os famosos tubos de lava. Uma espécie de caverna vulcânica por entre as pedras em que no passado escorriam lava líquida. A mais acessível destas “cavernas” vulcânicas é bem sinalizada. Estes tubos de lava são formados quando a lava derretida (baixa viscosidade) esfria do lado de fora devido ao contato com o solo e ar e o seu interior confinua a fluir.Quando o fluxo de lava é interrompido pelo fim da erupção, acaba formando uma espécie de túnel.

Em Rangitoto Island o maior tubo de lava tem cerca de 50 metros de comprimento e para entrar dentro dele recomenda-se levar uma lanterna.. Caso você não leve uma lanterna, dá meio que para se virar com o celular mesmo. Na maior parte do trajeto dentro do tubo de lava é possível caminhar de pé sem grandes obstáculos, apesar da inclinação. Só tome cuidado para não bater a cabeça nas pedras afiadissimas da caverna.

Ahh antes que esqueça, vale lembrar que na Nova Zelândia não existem cobras e nem aranhas então dá para entrar sem medo.. É uma experiência diferente e recomendada se você não sofrer de claustrofobia :D.

A trilha do ferry até o cume leva cerca de 45 minutos 1 hora dependendo do seu ritmo de caminhada. Pelo caminho existem várias paradas para contemplar o visual e retomar o fôlego. Lá em cima a vista de 360 graus de Auckland é fantástica.. Em dias claros e de boa visibilidade é possível até mesmo enxergar a Peninsula de Coromandel para o leste, o Waitakare Ranges pata o oeste. O Hauraki Gulf com o North Shore, Whangaparoa Peninsula a Great e Little Barrier Islands ao norte e Auckland e Manukau em direção ao Bombay Hills ao sul.

Para aqueles que curtem fazer Birdwatching, a ilha de Rangitoto também é uma ótima pedida. Embora o melhor lugar para esta atividade nos arredores de Auckland ainda continue sendo Tiritiri Matangi.

Pela base do vulcão, ainda existem outras trilhas interessantes. Mas a escalada ao pico do Rangitoto é certamente o passeio mais recomendável de todos. Afinal de contas o visual lá de cima é fantástico!!

Informações Úteis passeio Auckland até o Rangitoto

A travessia entre Auckland e Rangitoto Island leva cerca de 25 minutos. Para conhecer Rangitoto Island recomenda-se ter cerca de pelo menos 4.5 – 6 horas (incluindo tempo no ferry). O que faz dele um passeio de dia inteiro.

Como no local não existe nada além do terminal do ferry e das trilhas recomenda-se levar algo para comer e principalmente água para tomar. Não esqueça também de levar um protetor solar e quem sabe um boné/chapéu. Como o solo é de origem vulcânica use tênis próprio para caminhada, chinelo nem pensar.

Rangitoto Island é uma unidade de conservação que junto com outras ilhas do Hauraki Gulf são chamada de Treasure Island. Graças a um intenso trabalho do departamento de conservação, espécies exóticas foram / estão sendo constantemente eliminadas do ambiente e sempre antes de embarcar/desembarcar é feito uma “inpeção” para evitar a entrada de animais e plantas exóticos no ambiente.

Para aqueles com dificuldades de locomoção, existe um tour feito com veículo 4WD que podem ser uma alternativa. E para finalizar, é importante prestar atenção ao horário para não perder o ferry de volta para Auckland e não ter que passar a noite na ilha.

Para maiores informações em relação a preços e horários do ferry consulte este link.

Outra forma interessante de se visitar a ilha é ir até lá de Kayak saindo de uma das praias do Eastern Shore de Auckland. A Auckland Sea Kayaks e a Fergs Kayaks são duas operadoras que fazem esse passeio até a ilha.

Se este post foi útil para você, ajude o blog a continuar existindo reservando hotel, alugando carro, contratando seguro viagem, comprando passagens, SIM Cards e reservando seus passeios e atrações. Prestigiando nosso trabalho e planejando suas viagens através dos links do blog continuaremos a postar dicas e posts de nossas aventuras pelo mundo e assim esperamos ajudar a melhorar ainda mais a sua experiência de viagem.

 

Reservando através dos links do blog você não paga mais por isso, mas o blog recebe uma pequena comissão. Você pode ficar sabendo mais sobre como isso funciona na política do blog Fotos & Destinos.

 

Aproveite também para seguir nossas redes sociais como Instagram e Facebook

Obrigado!!

Oscar Augusto Risch

11 Comentários

  1. avatar

    […] Shore de Auckland, as quais são banhadas pelas águas do Hauraki Gulf e emolduradas pela imponente Rangitoto Island. Depois de conhecermos um pouco sobre as praias selvagens do West Coast de Auckland, no post de […]

  2. Posted by angiesantanna| 12/09/2017 |Responder

    bahh o rangitoto foi o primeiro perrengue q passei na NZ hauehaue fomos num dia bonito que virou num demonioooo choveu horrores enquanto faziamos a trilha, nos protegemos naquela casinha q o execito construi la no topo..ai por sorte tinha um guarda chuva pra n vir agua direto na cabeca, mas chovia pra cima, pro lado, de tudo quanto eh jeito q entrou agua dentro da minha mochila! dava pra tirar um copo inteiro, ai perdi meu ipod e por sorte meu ipad tava em outro compartimento e se salvou

    • Posted by Oscar Augusto Risch| 12/09/2017 |Responder

      Putz que perrengue hein?! O tempo na Nova Zelândia é muito imprevisível não dá para sair com material fotográfico / eletrônicos sem levar uma drybag.. Ainda bem que pelo menos seu iPad se salvou…

  3. Posted by bstorquato| 12/09/2017 |Responder

    Que interessante! Sempre vejo posts sobre a Nova Zelândia mas nunca vi um sobre esse tema. Deve ser tenso viver com esse risco né?
    Achei linda a ilha, e com certeza vou visitar quando for pra lá. E as fotos estão ótimas também!

    • Posted by Oscar Augusto Risch| 12/09/2017 |Responder

      Pois é!! Apesar de ser um país com paisagens incríveis a Nova Zelândia é sujeita a uma série de desastres naturais. Por estar no circulo de fogo do pacífico, a ilha sul é especialmente sujeita a abalos sísmicos e a ilha norte a eventuais erupções vulcânicas. Tirando esse potencial risco as paisagens são maravilhosas

  4. Posted by casalventura| 12/09/2017 |Responder

    Somos doidos para visitar Auckland. Com certeza vamos salvar todas as suas dicas sobre lá. Os posts estão bem completos.

    • Posted by Oscar Augusto Risch| 12/09/2017 |Responder

      Auckland é uma cidade incrível para se passear, tem muita coisa legal para conhecer em seus arredores. Nos 3 anos que morei por lá tentei conhecer tudo o que eu podia, mas ainda acabaram faltando algumas coisas.
      Obrigado pela visita

  5. avatar
    Posted by Francisco Piazenski| 12/09/2017 |Responder

    Oscar, que bacana o relato, eu tinha ideia que na Nova Zelândia haviam muitos vulcões, mas não que em plena Auckland houvessem tantos! Imagina uma grande evacuação, e a perda material em caso de uma grande erupção…

    • Posted by Oscar Augusto Risch| 13/09/2017 |Responder

      Pois é.. Apesar de os vulcões de Auckland estarem adormecidos (o Rangitoto assunto deste post foi um ultimo a entrar em erupção), o risco vulcânico existe. Tudo é monitorado pelo GNS (serviço geologico da NZ), mas esses tempos estava lendo um estudo sobre areas mais suceptiveis a possiveis erupções em Auckland e a região de Mangere onde o aeroporto internacional esta localizado é supostamente uma das regiões mais provaveis de um vulcão entrar em erupção na cidade.

  6. Posted by Diego Cabraitz Arena| 13/09/2017 |Responder

    Um dia irei explorar esses lados da Nova Zeladia. Mas como você falou eu era uma das pessoas que não imaginaria sobre os vulcões adormecidos. Que medo eim, nunca se sabe quando ele pode dar sinal de vida novamente.
    E essa trilha? Show .

    • Posted by Oscar Augusto Risch| 13/09/2017 |Responder

      A Nova Zelândia é uma país encantador!! Tendo a oportunidade vá!! Quanto aos vulcões eles graças a Deus estão bem comportados na região de Auckland a quase meio milênio, mas como você disse, nunca se sabe quando ele pode acordar.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Todos os campos são requeridos.