Gardens by the Bay: Os Jardins futuristas de Singapura

O recém inaugurado Gardens by the Bay de Singapura é sem dúvida um dos mais impressionantes e audaciosos jardins botânicos já construídos no mundo até os dias de hoje. Aliando design e um ousado projeto arquitetônico com o que há de mais moderno em sustentabilidade ambiental. O Gardens by the Bay certamente é/será um daqueles empreendimentos que irão de uma forma ou de outra marcar época, e influenciar muitos projetos semelhantes no futuro. Tanto que recebeu o prêmio de Building of the Year 2012

Gardens by the Bay Singapura a Construção do ano 2012

Capaz de deixar até mesmo aqueles não tão apaixonados por plantas e jardins literalmente de queixo caído. O Singapore Gardens by the Bay (Jardins na Baía de Singapura) são digamos a “cereja do bolo” de um grande projeto de “embelezamento” empreendido há pelo menos umas 4 décadas pelo National Parks Board de Singapura.

Entrada do Gardens by the Bay Singapura

Bem o trabalho realizado por eles ao longo dos últimos 40 anos dispensa maiores apresentações. Para quem conhece Singapura basta lembrar da impecável arborização urbana da cidade, os seus jardins e áreas verdes.. Agora se você ainda não teve a chance de visitar Singapura, talvez as fotos deste e dos outros posts sobre a cidade do Merlion possam te convencer do que estou falando.

Gardens by the Bay em Singapura a caminho da Super Trees Grove

Construído a um custo estimado em cerca de 800 milhões de dólares, o Gardens by the Bay é muito provavelmente o jardim botânico mais caro e moderno do mundo na atualidade. E tem como característica fundamental o fato de que quase todos os aspectos de sua construção terem sido pensados e voltados em prol da sustentabilidade e uso eficiente dos recursos naturais. Principalmente no que se refere ao uso de energia e água.

Cloud Forest no Gardens by the Bay

Oficialmente totalmente inaugurado ao público em 28 de Junho de 2012, O Gardens by the Bay é resultado de uma competição internacional de design e arquitetura organizada pelo NParks e que atraiu mais de 70 diferentes projetos de mais de 170 escritórios de arquitetura e design oriundos de mais de 25 diferentes países.

Cloud Forest Conservatory no Gardens by the Bay

A decisão final dos projetos escolhidos ficou a cargo de um jurí técnico composto por 11 especialistas locais e internacionais em janeiro de 2006 e o início oficial da construção do Gardens by the Bay iniciou-se em Novembro de 2007 com a construção do Bay South Gardens. Tanto ele, quanto o Bay East Gardens (do outro lado da Barragem) são projetos de origem britânica e levaram 5 anos para serem finalizados.

Dragon Fly Lake, Super Trees e o Flower Dome do Gardens by the Bay

Em todos os projetos, além do design e idéias arrojadas apresentadas pelos seus idealizadores, muitos princípios de inovação e de sustentabilidade ambiental foram incorporados e testados nesta escala pela primeira vez na prática, o que acabou atrasando um pouco a obras. Mas foram justamente estes parâmetros de inovação e as soluções oferecidas por seus idealizadores que certamente foram decisivos no momento da escolha dos projetos que de fato sairiam do papel.

Como funciona do Gardens by the Bay

Um exemplo nítido disso são os dois conservatórios: Dois biomas distintos construídos dentro de gigantescas estufas de vidro. Como Singapura está na zona tropical eles na verdade são uma espécie de estufa as avessas. Enquanto o Flower Dome replica um clima frio e seco característico do Mediterrâneo e das regiões semi-áridas da zona sub-tropical. A Cloud Forest replica um clima frio e úmido característico de regiões elevadas(1500-3500 metros de altitude) da zona Inter-Tropical.

Cascata no Cloud Forest Dome no Gardens by the Bay

E dentro destas duas fantásticas estufas refrigeradas, encontramos um diversificado conjunto de plantas (embora ainda em fase de implantação daqui uns 5 anos vai estar ainda melhor) que não são comumente vistos nesta parte quente do globo e que são de alto valor de conservação devido ao seu risco de extinção em seu respectivo ambiente natural. Isso sem falar que as estufas servem de uma espécie de oásis em meio ao forno chamado Singapura.

Flower Dome no Gardens by the Bay

Uma das coisas mais interessantes destes conservatórios, é que eles justamente usam e abusam de um conjunto de tecnologias de ponta da chamada engenharia sustentável do século XXI. As quais combinadas buscam soluções de eficiência energética e do uso dos recursos naturais. E que neste caso, conseguiu uma economia de até 30% no consumo total de energia, quando comparada as tecnologias convencionais. Algumas delas absolutamente simples, outras mais sofisticadas.

Entrando no Flower Dome

Entre elas, podemos destacar o uso de um tipo de vidro especial, o qual permite que a luz ótima (em todos os comprimentos de onda necessários para as plantas) entre, mas que ao mesmo tempo reflita uma quantidade substancial de calor. Tecnologia já utilizada em muitos edifícios comerciais ao redor do mundo.

Cloud Forest Dome em direção ao Super Trees Grove

Além disso, visando conter o calor da radiação solar, o telhado está equipado com um sensor que opera um conjunto retrátil de velas/cortinas monitorados por computador que se abre automaticamente para fornecer sombra para as plantas quando fica muito quente.

Passarela suspensa no Cloud Forest Dome no Gardens by the Bay

Os conservatórios foram ainda projetados aplicando a estratégia de estratificação térmica onde se faz necessário o arrefecimento apenas os níveis mais baixos, reduzindo assim consideravelmente o volume de ar a ser resfriado. Isto é conseguido também através do resfriamento do solo e piso por tubos de água gelada instalados no chão que permitem com que o ar frio (mais denso) ocupe as regiões mais baixas enquanto o ar quente (menos denso) suba e seja expelido para fora em níveis mais elevados. Soluções relativamente simples que fazem toda a diferença.

Flower Dome no Gardens by the Bay

No caso do Flower Dome (estufa seca), para reduzir a quantidade de energia necessária para o processo de arrefecimento do ar, antes dele ser refrigerado ele é de-humidificado por agente dessecante, antes de ser arrefecido o que garante uma economia considerável de energia. Este dessecante é reciclado por meio do calor perdido a partir da queima da biomassa .

Araucarias no Gardens by the Bay Singapura

Falando em Biomassa, boa parte da eletricidade utilizada na refrigeração das estufas é obtida pela queima dos resíduos hortícolas dos jardins e dos parques da zona central de Singapura. Estes são apenas algumas das várias soluções aplicadas na contrução dos conservatórios do Gardens by the Bay.

Caminhando pela passarela do Cloud Forest no Gardens by the Bay

Além das estufas de vidro, outra estrutura que logo saltam aos olhos dos visitantes são as chamadas Supertrees. 18 enormes estruturas de concreto e metal que possuem funções ambientalmente sustentáveis que de certa forma se assemelham e muito com as suas contrapartes verdadeiras.

Super Trees no Gardens by the Bay em Singapura

Todas as Super Trees possuem células fotovoltaicas em suas copas para colher energia solar para iluminar as Supertrees a noite e fornecer energia para iluminação de outros lugares do jardim, outras ainda captam a chuva, a qual é utilizada para irrigação das plantas enquanto outras são integrados com os Conservatórios e servem como recipientes de exaustão de ar do sistema de refrigeração.

Organograma explicando a Sustentabilidade do Gardens by the Bay

Ligando elas entre sí existe o OCBC Skywalk.. Uma espécie de arvorismo hi-tech de onde podemos caminhar sem grande esforço físico (tirando o calor) observando a paisagem digo o Skyline de Singapura e as copa das super árvores de pertinho. Apesar de a vegetação ainda não ter crescido em todo seu potencial.. Já é possível imaginar o local quando o jardim atingir sua maturidade daqui alguns anos.

OCBC Skywalk no Gardens by the Bay visto de baixo

Outra atração do Gardens by the Bay cujo conceito eu achei muito interessante foi o Heritage Gardens o qual combina as 4 vertentes étnicas que formaram a Singapura Moderna.. Embora as plantas não estivessem 100% estabelecidas certamente daqui alguns meses/anos esta será outra área bastante interessante de se visitar no local.

Jardim Chinês no Heritage Garden do Gardens by the Bay ao fundo o Marina Bay Sands

Além é claro do World of Plants, um jardim projetado para mostrar algumas das maravilhas do reino vegetal que ainda estava em fase final de implantação.. Mas eu curti as topearias gigantes de animais 😛

Topearias no World of Plants do Gardens by the Bay

Falando em visitas, o Gardens by the Bay possui uma fantástica estrutura de visitação e conta com diversos restaurantes e espaços destinados a eventos..

Um dos espaços para Eventos no Gardens by the Bay

Boa parte do Gardens by the Bay é de acesso gratuito. É cobrado ingresso apenas para subir no Skywalk na Super Tree Grove e para entrar nos conservatórios. Apesar de não serem exatamente baratos, vale cada centavo.

Malay Garden no Gardens by the Bay

Lembrando que turistas pagam mais caro que residentes (Eu acho isso ridículo mas tudo bem os locais não podem entrar no Cassino) Recomendo comprar o ingresso para as duas estufas e uma outra separada para a passarela. Os preços atualizados dos ingressos podem ser encontrados no website oficial dos Gardens by the Bay.

Jardim Indiano no Gardens by the Bay

Os jardins do Gardens by the Bay ficam abertos diariamente das 17h às 02h do dia seguinte. Os conservatórios e o Skywalk ligando as copas das Super Trees tem horário de funcionamento reduzidos e abrem de 9h e fecham as 21h. Um dia cada mês, as estufas fecham para manutenção .

Jardim Chines no Gardens by the Bay Singapura

O Gardens by the Bay está localizado entre o impressionante Marina Bay Sands e o Marina Barrage o Gardens by the Bay se extende por 101 hectares numa área que no passado já esteve no fundo do mar. Para chegar lá a maneira mais fácil é pegar um táxi ou o metro até a estação Bayfront e seguir a sinalização.

Vista do OCBC Skywalk no Gardens by the Bay

Esta foi outra das várias novas atrações de Singapura que acompanhamos boa parte do seu processo de construção no período que residimos na cidade. Na verdade, por um bom tempo tudo aquilo me parecia parte do canteiro de obras do Marina Bay Sands até eu descobrir do projeto do novo jardim botânico de Singapura visitando a IWW (International Water Week) em 2008 e o Marina Barrage pouco antes de nos mudarmos para os EUA.

Singapore Flyer, Flower Dome, Cloud Forest e Super Trees no Gardens by the Bay

Felizmente tivemos o privilégio de voltar a Singapura, desta vez à passeio, e conhecer esta maravilha logo após a sua inauguração. E apesar de termos passado boa parte de uma manhã explorando o local, gostaria de ter tido mais tempo para explorar tudo com mais calma. Segundo o Tony Galvez do Guia de Singapura o ideal é visitar o local na parte da tarde. Porém como tínhamos compromisso na hora do almoço e os 5 dias que passamos por lá foram muito corridos nem conseguimos explorar tudo do jeito que o local merecia.

Super Trees Grove no Gardens by the Bay em Singapura

Veja Também:

Outras fotos de nossa visita na nossa página no Facebook

Gardens by the Bay no Guia de Singapura do Tony Galvez & Rodrigo Purisch

Posts Relacionados:

Pollen Lower level POLLEN: O Restaurante do Flower Dome do Gardens by the Bay em Singapura

Marina Bay Sands em Singapura: Muito além do Cassino

Marina Barrage: Singapura à caminho da Sustentabilidade

A Maior Roda Gigante do Mundo – Singapore Flyer

O que ver e fazer em Singapura

Índice com todos os Posts do MauOscar

Clique na Logo =>

Siga o MauOscar.com também no:

37 Comentários

  1. Posted by lucianamisura| 24/10/2012 |Responder

    Uau, que lugar fantástico! País que tem dinheiro é outra coisa…

    • Posted by MauOscar| 24/10/2012 |Responder

      Luciana

      Por essas e outras que eu digo que Cingapura é o primeiro mundo dos dias de hoje.. Eu vejo muito de Cingapura nos EUA de 40-100 anos atrás…
      Eu tomei um susto depois de 3 anos desde que havíamos saído de lá.. Tudo estava tão diferente em tão pouco tempo..

      bjs

  2. Posted by Flora| 24/10/2012 |Responder

    Fantástico! Mais um jardim para a minha listinha, que graças ao seu blog já está ficando enorme.

    • Posted by MauOscar| 24/10/2012 |Responder

      Flora

      Cingapura tem pelo menos 3 jardins que valem a visita.. O Jardim Botânico com destque especial para o National Orchid Garden, o Chinese Gardens em Jurong e agora o Gardens by the Bay 😀
      Em matéria de jardins tropicais acho que não tem para ninguem.. pelo menos até onde eu conheço

      Abraço

  3. avatar
    Posted by 360meridianos (@360meridianos)| 24/10/2012 |Responder

    Muito legal! Estivemos em Cingapura 2 semanas antes da inauguração, então perdemos a visita. Desde então ficou a curiosidade de ver fotos de lá. Como tudo em Cingapura, muito é impressionante.
    Agora precisamos voltar lá pra conferir!

    • Posted by MauOscar| 25/10/2012 |Responder

      Nós moramos lá por 18 meses e ficamos assustados com as transformações que encontramos 3 anos depois.. O Gardens by the Bay ficou incrível!!!

      Daqui uns 5 anos quando as plantas estiverem 100% adaptadas o negócio vai ficar ainda mais bonito…

  4. avatar
    Posted by Boia Paulista| 25/10/2012 |Responder

    Oi, Oscar. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia Paulista

    • Posted by MauOscar| 31/10/2012 |Responder

      Bóia Paulista (Natalie)

      Obrigado 😀

  5. avatar
    Posted by Tatiana| 25/10/2012 |Responder

    Qual horario vc acha melhor para visitar o Garden Bay The Bay? Quantas horas em media são necessarias para aproveitar bem o passeio?
    Não vejo a hora, o lugar é lindo!

    • Posted by MauOscar| 31/10/2012 |Responder

      Tatiana

      Olha nós visitamos pela manhã. Mas o ideal mesmo é no final da tarde com o cair da noite quando as supertrees ficam iluminadas.. O tempo para visitar tudo vai depender do seu interesse e ritmo.. Mas eu diria que você deve reservar pelo menos umas 3-4 horas para curtir tudo com calma..
      Lembrando que se for ficar até o anoitecer talvez seja legal levar um repelente para não ser atacada pelos mosquitos..
      Além disso, fiquei sabendo por alguns amigos que moram lá que os restaurantes são ótimos.. Principalmente o Pollen. Mas como é meio novidade na cidade é preciso fazer reserva com certa antecedência

      Abraço

  6. avatar

    […] Veja também a visita ao Gardens by the Bay no MauOscar. […]

  7. Posted by Lillian Brandão| 27/10/2012 |Responder

    Oi Oscar,

    Que lugar fantástico! Me fez lembrar um pouquinho do Biodôme em Montreal, mas esse aí é de altíssimo nível! 🙂

    Abraços,
    Lillian.

    • Posted by MauOscar| 31/10/2012 |Responder

      Lilian

      De fato o Biodome foi uma das inspirações para o Gardens by the Bay. A diferença é que ao invés de aquecer em Cingapura é preciso resfriar o ambiente e como é bem mais novo, está usando o que existe de mais moderno visando em minimizar ao máximo o impacto ambiental sobre o ambiente.

      Abraço

  8. Posted by Guta| 30/10/2012 |Responder

    Quando eu vi o projeto não tinha noção do tamanho do lugar que vc mostrou no post! É gigante!!! Deve-se ficar umas 3 horas fácil passeando por lá?
    Bom, só sei que é mais um otimo motivo para visitar Cingapura! Não vejo a hora de finalmente conhecer essa Asia!
    Lindo e completo post!
    bjus

    • Posted by MauOscar| 31/10/2012 |Responder

      Guta

      O parque é enorme . E se combinarmos ele com o parque da Marina Barrage e o Marina Bay Sands ele fica gigante. Isso sem falar que na margem oposta existe ainda o East Gardens que nem tivemos tempo de ir conhecer..
      Cingapura é o máximo.. Em termos de modernidade acho que eles estão muito na frente dos EUA.. Digamos que a cidade as vezes decepciona algumas pessoas que viajam para lá em busca de uma outra ásia.. Mas como costumo dizer, Comece e termine sua viagem por lá que vai dar tudo certo 😀

      Bjs

  9. Posted by Yasmine Takahashi| 16/11/2012 |Responder

    Quero parabenizá-los pelo blog, excelente, nos ajudou muito a montar nosso roteiro para Singapura, estamos indo mês que vem e estamos ansiosos, obrigado pelas dicas! Linkamos o blog de vcs em nossa página, tudo bem? Se puder passe por lá: alquimiadoviajante.wordpress.com
    Obrigado!

    Yasmine

    • Posted by MauOscar| 19/11/2012 |Responder

      Yasmine

      Acabei de visitar o blog de vocês.. Achei super legal e linkei ele aqui também..
      Tenho certeza que vocês vão amar Cingapura

      Abraço

  10. avatar
    Posted by Tania Mountian| 18/11/2012 |Responder

    Olá, Mauoscar
    Li alguns de seus posts sobre Cingapura e gostei demais!
    Esse ano viajei a Barcelona pela Singapore Airlines e, mesmo sendo em classe econômica, adorei! Essa experiência e agora, a leitura de seus textos, despertaram em mim a vontade de conhecer o país. Gostaria de saber qual é a melhor época do ano para viajar para lá.
    Abraço.
    Tania M.

    • Posted by MauOscar| 19/11/2012 |Responder

      Tania

      Bem o clima em Cingapura é muito constante então não existe exatamente uma época ideal para conhecer a cidade-estado.. Minha sugestão é visitar entre Junho e Agosto quando tende chover um pouco menos.. Novembro e Dezembro costumam ser os meses mais chuvosos.. Janeiro e fevereiro os meses mais “frescos” (se é que isso existe em Cingapura ) Abril costuma ser o mês mais quente do ano.. A escolha de que época vai visitar Cingapura vai depender mais dos outros destinos que você pretende combinar com essa viagem.. Por exemplo se for a Bangkok o ideal é visitar a ciadade entre Dezembro e Março. Agora se você quer ir para Bali.. A melhor época é Agosto e Setembro

      Espero ter ajudado e respondido sua dúvida

      Abraço

      • avatar
        Posted by Tatiana| 29/11/2012 |Responder

        Acabei de voltar de Cingapura, ainda estamos em Dubai mas entrei rapidinho na net para agradecer suas dicas e dizer que amamos Cingapura. Tudo é perfeito e lindo, conseguimos conhecer muitos pontos turisticos, marina bay, subimos no marina bay sands, gardens by the bay, universal studios, zoo, usamos muito o metro. Foi tudo perfeito.

        • Posted by MauOscar| 06/12/2012 |Responder

          Tatiana

          Que legal.. Espero que nossas dicas lhe tenham sido bastante úteis

          Abraço

  11. avatar
    Posted by Cássio monteiro| 25/02/2013 |Responder

    Conheci o Garden by the Bay através de programas da sky ( mega costuções), fiquei apaixonado de primeira. Então comecei a pesquisar sobre o assunto e cheguei até vocês, maravilhosos e inspiradores. Fico feliz e até muito grato pelo material criado, contudo até me fortaleço para muito em breve visitar este paraíso, que agrega a modernidade sem deixar para tráz a essência do belo e da conservação. Sou Paisagista e Gestor Ambiemtal e estou muito entusiasmado.
    Abraços, Monteiro.

    • Posted by Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens| 26/02/2013 |Responder

      Cássio

      Obrigado pela visita e pelas gentis palavras.. Volte sempre

  12. avatar
    Posted by Jardim Botânico de Auckland | MauOscar Blog de Viagens| 20/04/2013 |Responder

    […]  Gardens by the Bay: Os jardins futuristas de Cingapura […]

  13. avatar
    Posted by Carlos| 06/05/2013 |Responder

    Que lugar sensacional. Nossa, isto iluminado deve ser um passeio imperdível. Fiquei muito curioso em conhecer. Parabéns pelo post. Adorei

    • Posted by Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens| 06/05/2013 |Responder

      Carlos

      Daqui menos de 2 semanas estou voltando a Cingapura e visitar o gardens by the bay a noite é uma das prioridades desta viagem

      Abraço

  14. avatar

    […] no interior do impressionante Flower Dome do Gardens by the Bay em Cingapura, o POLLEN é um refinado restaurante de cozinha mediterrânea contemporânea do aclamado chefe […]

  15. avatar
    Posted by Amanda Lago| 25/07/2013 |Responder

    Ai, Oscar, olha eu aqui de novo com minhas dúvidas. Vi suas fotos noturnas do Gardens by the Bay pelo instagram. Lindas mesmo. Agora a pergunta. Qual o melhor horário para visitar, de dia ou de noite? Ou os dois, rsrs?

    • Posted by Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens| 30/07/2013 |Responder

      Amanda

      Olha minha sugestão é visitar pelo final da tarde.. Aí você visita o jardim de dia, pega o anoitecer e o show noturno.. Só não esqueça de levar repelente 😀 Os Shows acontecem diariamente as 19:45 e 20:45..

      Se você ficar hospedada pelo menos 1 noite no MBS, é super fácil visitar o jardim de dia e voltar a noite para ver o show

  16. avatar
    Posted by Amanda Lago| 31/07/2013 |Responder

    Mais uma vez obrigada, Oscar. Essa dicas são essenciais.

    Beijos,
    Amanda

  17. avatar

    […] conheci o Jardim a fundo e não tenho know-how para falar dele. Quem quiser saber mais, recomendo este excelente post do MauOscar, que morou na cidade e conta os detalhes deste maravilhoso empreendimento da arquitetura […]

  18. avatar

    […] de uma fruta local; a roda-gigante Singapore Flyer, 30 metros mais alta que a London Eye; e o Gardens by the Bay, o impressionante jardim botânico com ares futuristas. À noite, a ideia é aproveitar a […]

  19. avatar
    Posted by duda| 12/01/2015 |Responder

    impressionantes,lindos jardins

  20. avatar
    Posted by Adriana Fogaça| 28/08/2015 |Responder

    Primeira visita no blog e este post pra mim por si só já justificou sua QUALIDADE. Parabéns aos administradores, escritores e toda a galera do blog que trabalha para produzir conteúdo excelente como este!

  21. avatar
    Posted by Caio| 31/07/2016 |Responder

    Esse lugar é realmente impressionante e a noite é lindo demais! O show de luzes vale muito a pena conferir! Belo post!

  22. avatar
    Posted by Carmem Lucia Novais Oliveira| 20/06/2017 |Responder

    gostaria de fazeraqui no meu municipio

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Todos os campos são requeridos.